quarta-feira, fevereiro 28, 2007

Jogos de azar.

... e ele não sabia o que fazer, sentado em sua cama, encarando todas aquelas pílulas, sentindo um absurdo vazio interior. Foi quando percebeu o tamanho de sua dependência. Mas aqueles antidepressivos não importavam, afinal, a dependência não provinha deles, mas de você.
Ah, os comprimidos. Essas cápsulas laranjas, que o fazem dormir como um anjo e acordar com o demônio.
Ele tentava, mas não conseguia pensar, se concentrar em nada. Ele só pensava nos tempos onde você não o deixava dormir sozinho. Tempos os quais, existiram apenas para ele. Infelizmente, você não conseguiu esconder o vazio que sentia e ainda o demonstrou...
Mas não se culpe. Afinal, você não tinha idéia que para ele não era apenas um jogo, não é?

6 comentários:

Trintinha disse...

Amigoooooooooo! Blz? bom, primeira vez qeu visito teu blog... Parece bem bacana! Mas, confesso, fiquei meio boiando com essa estória aí.... Nem lendo os posts abaixo consegui entender direito... Rssss... mas depois eu leio com mais calma! Beijos!

Divorciado disse...

Bernardo,
Confesso q também ñ entendi...
É a segunda vez q leio aqui sobre esses tais comprimidos laranjas, já está me dando vontade de experimentar, rss
( Será q é vitamina C ? Se for pra dormir melhor ainda, pois tenho insônia )
Abraços

Bernado disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Luiz Pep disse...

Lembrado com carinho!

Ele era um rapaz que amava, que foi deixado, que entrou em
depressão, que ergueu a cabeça, que procurou um novo amor, que
encontrou alguém em meio a tanta futilidade, alguém sincero, alguém
que diz a verdade na cara, que o fez esquecer a dor recente, que o
fez transmitir todo o carinho, todo o respeito, toda admiração, que
não quis tomar posse, quis apenas fazer parte, que está perdendo
entre os dedos, que não sabe o que fazer, que está com saudade, que
está com muita saudade, que olha um perfume em cima da estante, que
é como se fosse o objeto mais importante de seu quarto, que acredita
que outro objeto faz com que seja lembrado, com carinho, tem que
acreditar, sou lembrado com muito carinho!

tiozinho disse...

Bom findi guri!
bjo
;)

Isaac disse...

Quanto mais eu leio essas linhas, mas eu me absorvo nelas... Ah, se houvessem antídotos para a desesperança da alma...