quinta-feira, maio 24, 2007

Jogo Perigoso.

... às vezes ele se pergunta como deixou as coisas chegarem a esse ponto. Como foi perder o controle da situação, como passou a ser a parte que ama mais. Sim, ele sabe que um dos dois sempre ama mais, mas Deus, como ele gostaria que não fosse ele. Mas, infelizmente, não é. Não sabe como o jogo se inverteu, como perdeu a posição de dar as cartas nesse jogo tão complicado, que ele particularmente não gosta muito de jogar. Após uma breve reflexão (nem foi preciso muito esforço), chegou à conclusão que não gosta de jogar porque sempre sai perdendo. É assim mesmo. Quem gosta de ficar se arriscando quando sabe que vai perder? E ele sempre perde. É sempre ele que fica sozinho, ele que sempre sai magoado, ele que sai mendigando qualquer migalha de atenção. E quandi isso acontece, alguém dá as cartas novamente e o jogo recomeça... com ele sabendo que vai sair perdendo.

E você estava dormindo quando eu arrumei as minhas coisas no escuro.
O formigar nos meus dedos foi tudo o que restou daquela noite...
Eu não queria acordá-lo, porque eu sabia que não poderia ficar.
Mas eu sei que você me amou do seu jeito... só que eu não posso esperar para que esses dias fiquem para trás.

3 comentários:

Luiz Pep disse...

Escape emocional

Jogo perigoso que de atrevido entro,
sabendo da iminente dor que sentirei
procuro não pensar no amanhã
mas este é o problema
tudo apodrece com o tempo
ou tudo se congela
evoluções caladas
fica assim parado com o tempo

Arthur Ferraù disse...

Enigmático, mas lindo...
às vezes me sinto na mesma situação...

Vou te add no meu blog, blz?

Arthur Ferraù disse...

Muito obrigado pelo comentário!!! Eu também adorei o pouco que li aqui no seu blog!!!

Vou voltar mais vezes aqui e tentar ler os textos mais antigos...

Abração!